Terça-feira, 14 de Novembro de 2017

Serás mãe...

mãe.jpg

 
 
Respira. Serás mãe por toda a vida. 
Ensine as coisas importantes. As de verdade. 
A pular poças de água, a observar os bichinhos, 
a dar beijos de borboleta e abraços bem fortes. 
Não se esqueça desses abraços e não os negue nunca. 
Pode ser que daqui a alguns anos, os abraços que você sinta falta, sejam aqueles que você não deu. 
Diga ao seu filho o quanto você o ama, sempre que pensar nisso. 
Deixe ele imaginar. Imagine com ele. 
As paredes podem ser pintadas de novo, 
as coisas quebram e são substituídas. 
Os gritos da mãe ficam.
Muitas vezes você pode lavar os pratos mais tarde. 
Enquanto você limpa, ele cresce. 
Ele não precisa de tantos brinquedos. Trabalhe menos e ame mais. 
Menos presente e mais presença! 
E, acima de tudo, respira.
Serás mãe por toda a vida. Ele será criança só uma vez.”

(Autor desconhecido)
publicado por momentoskatia às 21:31

link do post | comentar | favorito
|

Conversa entre vô e neto...

avo-e-neto.jpg

 

Um jovem perguntou: "Vovô, como você viveu antes?

Sem tecnologia

Sem smartphones

Sem internet

Sem computadores

Sem tvs plasma ou led

Sem redes sociais

Sem drones

Sem celulares, tablets, notebook e laptop? "


O vovô respondeu: 

"Como a sua geração vive hoje:

Sem orações

Sem compaixão

Sem honra

Sem respeito

Sem vergonha

Sem esforço

Sem responsabilidades

Sem modéstia"

 "Nós, as pessoas nascidas no século passado, somos abençoadas.

 

Nossa vida é prova viva.

- Enquanto andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes.

- Depois da escola, jogávamos até o anoitecer no bairro, sem medo.

- Nós brincávamos com amigos reais, não com amigos da internet.

- Se tivéssemos sede, beberíamos água da mangueira, não engarrafados.

- Não havia perigo de compartilhar o mesmo copo de suco com quatro amigos.

- Não ganhamos peso comendo junk food.

- Nem nos aconteceu nada caminhando com os pés descalços.

- Nunca usamos um suplemento para nos manter saudáveis.

- Nós costumávamos criar nossos próprios brinquedos e brincar com eles.

- Os pais não eram ricos. Eles davam amor, não coisas materiais.

- Não tínhamos telefone, celulares, DVD, Play Station, Xbox, jogos de vídeo, computadores pessoais, internet, redes sociais - nós tínhamos amigos reais.

- Nós visitávamos a casa de nossos amigos sem termos sido convidados e apreciávamos a refeição com eles.

- Os parentes viviam nas proximidades para aproveitar o tempo da família.

- Podemos estar em fotos em preto e branco, mas você pode encontrar memórias coloridas nessas fotos.

- Somos uma geração única e mais compreensiva, porque somos a última geração que ouviu seus pais, avós e tios. Também respeitamos mestres, professores e o pastor.

Somos uma edição LIMITADA! Todos os dias somos menos. Aproveite enquanto você pode.

Aprenda conosco.

E tenha em mente que nos deu muito trabalho construir este país que, hoje, eles estão destruindo!

 

Desconheço o autor

publicado por momentoskatia às 12:20

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 4 de Novembro de 2017

Sobre a morte e o morrer – Rubem Alves

23031319_1586569611365909_5614562084092840406_n.jp

 

Já tive medo da morte. Hoje não tenho mais. O que sinto é uma enorme tristeza. Concordo com Mário Quintana: “Morrer, que me importa? O diabo é deixar de viver”. A vida é tão boa! Não quero ir embora. Como ia dizendo, não tenho mais medo da morte, mas temo ainda porque o morrer pode vir acompanhado de dores, humilhações, aparelhos e tubos enfiados no meu corpo, contra a minha vontade, sem que eu nada possa fazer, porque já não sou mais dono de mim mesmo. E pela solidão, já que ninguém tem coragem ou palavras para, de mãos dadas comigo, falar sobre a minha morte. E medo também de que a passagem seja demorada. Bom seria se, depois de anunciada, ela acontecesse de forma mansa e sem dores, longe dos hospitais, em meio às pessoas que se ama, em meio a visões de beleza. Mas a medicina não entende.

Um amigo contou-me dos últimos dias do seu pai, já bem velho. As dores eram terríveis. Era-lhe insuportável a visão do sofrimento do pai. Dirigiu-se, então, ao médico: “O senhor não poderia aumentar a dose dos analgésicos, para que meu pai não sofra?”. O médico olhou-o com olhar severo e disse: “O senhor está sugerindo que eu pratique a eutanásia?”. Há dores que fazem sentido, como as dores do parto: uma vida nova está nascendo. Mas há dores que não fazem sentido nenhum. Seu velho pai morreu sofrendo uma dor inútil. Qual foi o ganho humano? Que eu saiba, apenas a consciência apaziguada do médico, que dormiu em paz por haver feito aquilo que o costume mandava.

Comovi-me com o drama do jovem francês Vincent Humbert, de 22 anos, há três anos cego, surdo, mudo, tetraplégico, vítima de um acidente automobilístico. Comunicava-se por meio do único dedo que conseguia com esforço movimentar. E foi assim que escreveu um livro em que dizia: “Morri em 24 de setembro de 2000. Desde aquele dia, eu não vivo. Fazem-me viver. Para quem, para que, eu não sei”. Implorava que lhe dessem o direito de morrer. Como as autoridades, movidas pelo costume e pelas leis, se recusaram, sua mãe realizou seu desejo. A morte o libertou do sofrimento.

Um outro velhinho querido, 92 anos, cego, surdo, todos os esfíncteres sem controle, numa cama. De repente um acontecimento feliz: o coração parou. Ah, com certeza fora o seu anjo da guarda, que assim punha um fim à sua miséria! Mas o médico, movido pelos automatismos costumeiros, apressou-se a cumprir seu dever: debruçou-se sobre o velhinho e o fez respirar de novo. Sofreu inutilmente por mais dois dias.

Dirão que é dever dos médicos fazer todo o possível para que a vida continue. Eu também, da minha forma, luto pela vida. A literatura tem o poder de ressuscitar os mortos. Aprendi com Albert Schweitzer que a reverência pela vida é o supremo princípio ético do amor. Mas o que é vida? Mais precisamente, o que é a vida de um ser humano? O que e quem a define? O coração que continua a bater num corpo aparentemente morto? Ou serão os ziguezagues nos vídeos dos monitores, que indicam a presença de ondas cerebrais? Confesso que, na minha experiência de ser humano, nunca me encontrei com a vida sob a forma de batidas de coração ou ondas cerebrais.
A vida humana não se define biologicamente. Permanecemos humanos enquanto existe em nós a esperança da beleza e da alegria. Morta a possibilidade de sentir alegria ou gozar a beleza, o corpo se transforma numa casca de cigarra vazia. Muitos dos chamados “recursos heroicos” para manter vivo um paciente são, do meu ponto de vista, uma violência ao princípio da reverência pela vida. Porque, se os médicos dessem ouvidos ao pedido que a vida está fazendo, eles a ouviriam dizer: “Liberta-me!”.

Dizem as escrituras: “Para tudo há o seu tempo. Há tempo para nascer e tempo para morrer”. A morte e a vida não são contrárias. São irmãs. A reverência pela vida exige que sejamos sábios para permitir que a morte chegue quando a vida deseja ir. Cheguei a sugerir uma nova especialidade médica, simétrica à obstetrícia: a morienterapia, o cuidado com os que estão morrendo. A missão da morienterapia seria cuidar da vida que se prepara para partir. Cuidar para que ela seja mansa, sem dores e cercada de amigos, longe de UTIs, aparelhos invasivos e hospitais. (Fonte: Charlezine)

 

 escrita por Rubem Alves e publicada no jornal Folha de S.Paulo do dia 12 de outubro de 2003.

publicado por momentoskatia às 23:30

link do post | comentar | favorito
|

A mãe do pai

23032894_1503698483058950_8919130001764358066_n.jp

"A mãe da mãe tem as portas abertas.

Liberdade, intimidade, jeitinho.
É coadjuvante da novidade, doadora silenciosa do amor.
Cúmplice de uma nova mãe que merece e precisa da sua presença.
Mas e a mãe do pai?
Quão difícil é ser mãe do pai.
Achar a brecha, encontrar o lugar, se chegar.
A mãe do pai não tem que ajudar nas posições das mamadas, não tem que fazer compressas pré amamentação.
Para isso já existe a mãe da mãe. 
É ela quem o coração de filha pede.
E assim, a mãe do pai fica ali, observando de perto mas de longe.
A mãe do pai não tem desculpas para visitas demasiadamente prolongadas.
Precisa ir na coragem, na boa cara de pau, na fé.
A mãe do pai não pode ligar 3x ao dia para saber como está o toquinho de gente que fez seu coração explodir mais uma vez.
Ser mãe do pai é presenciar o filho se descobrir na paternidade, e ao mesmo tempo ter relances do garotinho que ontem segurava sua mão, e agora segura um bebê.
Ser mãe do pai é querer beijar, abraçar, palpitar na vida de um bebê que é tão seu, mas nem tanto.
É o amor incondicional que não pode chegar arrombando, precisa ser manso, bater na porta.
Ser mãe do pai é ter que aprender a respeitar a ordem do tempo e principalmente das coisas. 
É o amor resiliente, humilde, paciente.
Tenho a impressão que ser mãe do pai é o mais paciente dos amores.
É a união do amor com a espera.
Espera pelo momento, pela sua hora.
É falar, já que às vezes o amor fala demais, e se arrepender. 
A verdade, que não se pode negar, é que a mesma frase dita pela mãe da mãe, é recebida de forma diferente quando dita pela mãe do pai.
Ser mãe do pai é enxergar em outra mulher não somente a esposa do filho, mas a guardiã e mãe do novo ser que é tão importante na sua vida.
Ser mãe do pai é um papel tão complexo que assusta.
E me traz uma ponta de tristeza, pois um dia será a minha vez. 
E uma ponta de vergonha, já que lembro da minha sogra e da sua jornada como mãe de pai.
Pensando assim meu coração me pede mais paciência, compreensão, tolerância. Me pede para lembrar que quando o assunto é amor para os meus filhos, seja da mãe da mãe, ou da mãe do pai, nunca é demais.

Autora: @a.maternidade - Rafaela Carvalho
 
Retirei do facebook - Projeto 60 anos
publicado por momentoskatia às 23:19

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 29 de Outubro de 2017

Essência...

consciência.jpg

Você não precisa de uma profissão para se definir.
Você não precisa de religião para se proteger.
Você não precisa viajar para ser livre.
Você não precisa de títulos para ser alguém.
Você não precisa ser virgem para ser pura.
Você não precisa de um companheiro para ser feliz.
Você não precisa ser só para ser pleno. 
Você não precisa casar para validar o amor.
Você não precisa se definir sexualmente para viver o prazer sexual.
Você não precisa ter família para ter sentido na vida.
Você não precisa ser mãe para ser uma mulher amorosa.
Você não precisa ser mulher para ser sensível. 
Você não precisa de nada para ser Amor. 
Você não precisa de nada para provar o que És.

E ainda assim, nenhuma experiência pode mudar a tua essência. O ponto é só um: Com o que você se identifica? Há necessidade, apego ou peso naquilo que te move? Qual o desejo inconsciente da tua busca? Vivencie o que quiser, se assim for o teu impulso mental. Mas reconheça o que está por trás de toda e qualquer experiência. Pois só Isso realmente liberta.

Valéria Centenaro
Insights da Consciência - Página do facebook

publicado por momentoskatia às 15:38

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 15 de Setembro de 2017

12 dicas de um médico japonês de 105 anos para viver mais (e melhor)

 

Quando ele nasceu, em 1911, não havia sequer dados compilados sobre pessoas centenárias no Japão. Quando o governo local começou a organizar os números em 1963, eram apenas 153 indivíduos. Hoje, porém, já existem mais de 65 mil japoneses com três dígitos de idade essa porcentagem que já representa 0,05% do total não para de crescer.

O médico Shigeaki Hinohara infelizmente já não é mais um desses exemplos. Ele faleceu no ano passado, aos 105 anos, mas deixou pra trás 12 lições de longevidade através de uma entrevista dada quando tinha 'apenas' 97 anos.

Depois disso, o médico que dedicou mais de 80 anos de vida à medicina e foi um dos defensores do trato mais humano com os pacientes e de tratamentos alternativos aos medicamentos e intervenções cirúrgicas, seguiu trabalhando até os 102 anos de idade já que desfrutava de saúde mental e física impecáveis.

Abaixo, os conselhos de quem fez da própria vida um exemplo do que defendia e viveu (muito) pra contar:

 
 

A primeira dica de Shigeaki Hinohara você já deve ter ouvido falar muito por aí: se alimente bem. Como especialista e pesquisador do tema, ele tem propriedade ao falar que:

"Todo mundo que vive uma longa vida, independente de nacionalidade, raça ou gênero, compartilha uma coisa: ninguém está acima do peso."

É verdade que "só" ser magro, não garante nada, mas é quase um pré-requisito para conseguir viver mais.

2. Não pegue atalhos

Ainda de acordo com a dica número 1, o médico japonês recomendava que você não pegasse atalhos. E, segundo ele, não é necessário pagar uma academia caríssima ou comprar uma série de equipamentos pra sua casa, basta aproveitar as cosias do dia a dia:

"Para permanecer saudável, carregue suas próprias coisas e sempre suba de escadas. Eu, por exemplo, escolho subir sempre de dois em dois degraus para exercitar meus músculos."

3. Redescubra sua energia juvenil

Mas pelo tom das dicas até agora, você pode ter ficado com a impressão de que o Dr. Hinohara era defensor de uma rotina rígida. Aí é que você se engana. Nessa dica ele revela se permitia mudar a hora de comer e de dormir desde que fosse para fazer algo que lhe desse mais energia(!). Veja só:

"Energia vem de sentir-se bem, não de comer bem ou dormir muito. Todos nos lembramos quando éramos crianças e estávamos nos divertindo e simplesmente esquecíamos de comer ou dormir. Aquilo nos fazia mal? Pelo contrário. Eu acredito que podemos manter essa atitude enquanto adultos. É melhor não cansar o corpo com regras demais como hora de comer e hora de dormir."

4. Mantenha-se ocupado

Lembra daquele ditado popular "cabeça vazia, oficina do diabo"? Pois é, segundo este senhor centenário, a dica para driblar o tempo é não ficar parado, mantendo as engrenagens sempre em funcionamento:

“Sempre se planeje com antecedência. Minha agenda já está completa pelos próximos cinco anos, com palestras e meu trabalho usual, no hospital.”

5. Mantenha-se trabalhando

A dica número 5 é bem parecida com a de número 4, mas ela diz respeito mais especificamente ao seu trabalho. Se manter-se ocupado pode se referir apenas a atividades que você gosta de fazer, manter-se trabalhando reforça que você deve continuar fazendo mesmo as coisas não tão legais, mas necessárias.

“Não há necessidade de se aposentar jamais, mas se for preciso, deve ser bem mais tarde do que aos 65 anos. Cinquenta anos atrás, haviam somente 125 japoneses com mais de 100 anos. Hoje, são mais de 36 mil”.

Mas lembre-se que existem trabalhos e trabalhos. Uns mais exigentes (física e mentalmente) do que outros. 

6. Siga contribuindo com a sociedade

Ouvindo relatos de pessoas idosas, uma das principais queixas é o sentimento de solidão. O médico reforça essa preocupação e afirma que para combatê-la, o melhor método é se sentir útil de alguma forma. Por isso, ele defende que todos façam trabalho voluntário:

"Depois de uma certa idade, devemos nos esforçar para contribuir com a sociedade. Desde os 65 anos que trabalho como voluntário. Hoje, eu ainda trabalho 18 horas, 7 dias por semana e amo cada minuto."

7. Espalhe seu conhecimento

Ainda no sentido de tentar se manter útil, o médico recomenda que você repasse seu conhecimento. Além do valor de retornar à sociedade algo que a sociedade te deu, você pode assimilar melhor o que sabe.

“Divida o que você sabe. Eu dou 150 palestras por ano, algumas para 100 crianças do ensino médio, outras para 4.500 empresários. Eu normalmente falo por uma hora, uma hora e meia, de pé, para permanecer forte.”

8. Entenda o valor de diferentes disciplinas

E se o assunto é ensinar, a dica número 8 tem tudo a ver. Mesmo sendo um homem da ciência, Dr. Hinohara defendia que disciplinas como arte, música e história são tão ou mais importantes do que conhecer os fatos objetivos das ciências exatas e biológicas: 

“A ciência sozinha não consegue curar ou ajudar as pessoas. A ciência trata a todos como uma coisa só, mas as doenças são individuais. Cada pessoa é única, e as doenças estão conectadas com seus corações. Para entender as doenças e ajudar as pessoas, precisamos de artes livres e visuais, não somente de medicina.”

9. Siga seus instintos

Ainda nessa toada de buscar métodos alternativos para curar as pessoas das doenças, o médico defende que o hábito de levar uma vida mais simples e o contato com a natureza pode ser fundamental para evitar/combater doenças:

“Ao contrário do que se imagine, os médicos não conseguem curar tudo e todos. Então pra quê causar uma dor desnecessária com, por exemplo, uma cirurgia, em certos casos? Eu acho que a música e a terapia animal podem ajudar pessoas mais do que os médicos imaginam”

10. Resista ao materialismo

Já a dica de número 10 é muito simples e direta:

“Não enlouqueça pelo acúmulo de coisas materiais. Lembre-se: você não sabe quando será sua vez, e nós não levaremos nada daqui.”

11. Tenha modelos de vida e inspirações

Assim como o anterior, este tópico também é bem auto-explicativo, Hinohara acreditava no poder de ter mentores e conselheiros:

“Encontre alguém que te inspire para procurar ir ainda mais longe. Meu pai veio para os EUA estudar em 1900, foi um pioneiro e um dos meus heróis. Mais tarde encontrei outros guias de vida, e quando me sinto paralisado, me pergunto como eles lidariam com o problema.”

12. Não subestime o poder da diversão

Para encerrar, o médico volta a falar sobre a importância de ser feliz:

“A dor é algo misterioso, e divertir-se é a melhor maneira de esquecê-la. Se uma criança está com dor de dentes e você começa a brincar com ela, ela imediatamente esquece a dor. Hospitais precisam oferecer as necessidades básicas dos pacientes: nós todos queremos nos divertir. No St. Luke’s [hospital que dirigiu e trabalhou até o fim da vida] nós temos música, terapia animal e aulas de arte.”

 

* Não é garantia de que você vai chegar lá. Mas é um começo.

 

Fonte: https://www.papodehomem.com.br/12-dicas-de-um-medico-japones-de-105-anos-para-viver-mais-e-melhor

publicado por momentoskatia às 02:16

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 6 de Setembro de 2017

Cuidado com nossos filhos!

violência.jpg

1: Avisar a filha, pra ela não se sentar no colo de ninguém, não importa a situação, incluindo os tios.

2: Evite se vestir na frente de seu filho a partir dos 2 anos de idade dele.

3. Nunca permita que qualquer adulto refira-se ao seu filho como " minha esposa " ou " meu marido "

4. Sempre que o seu filho sai para jogar com os amigos, certifique-se de que você está procurando uma maneira de descobrir que tipo de jogo que eles fazem, porque os jovens agora abusam sexualmente de si mesmos.

5. Nunca faça seu filho visitar qualquer adulto que ele ou ela não se sente confortável com, e também estar atento se o seu filho chega a ser muito fã de um adulto em particular.

6. Uma vez que um menino muito alegre de repente se torna acanhado. É possível que tenha que pedir paciência e esclarecer algumas perguntas sobre o porque da sua conduta.

7. Educar cuidadosamente sobre os valores corretos da sexualidade. Se não o fizer, a sociedade vai ensinar-lhes os valores errados.

8: é sempre aconselhável ir através de qualquer novo material como os desenhos animados que acabou de comprar para eles antes de começar a ver eles mesmos.

9. Certifique-se de ativar os controles parentais em suas redes de cabo e conselhos aos seus amigos, principalmente os de sua criança (s) Visita (s) muitas vezes.

10. Ensine seus filhos a partir dos 3 anos como lavar suas partes íntimas corretamente, e avisá-los para não permitir nunca que ninguém toque nessas áreas (lembre-se, a caridade começa em casa e com você).

11: afaste alguns materiais associados que você acha que poderia pôr em perigo a saúde mental do seu filho (isso inclui música, filmes e até mesmo amigos e famílias).

12: uma vez que seu filho se queixa de uma pessoa em particular, não mantenha silêncio sobre o assunto.

Lembre-se, nós somos os pais criando futuros pais.

E lembre-se: "a dor dura toda a vida"

 

Retirei do facebook - Mãe Amor Incondicional

publicado por momentoskatia às 02:05

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 5 de Setembro de 2017

Aviso importante!!

aviso importante.jpg

 

Sobre o tipo sanguíneo deveríamos ter uma tabelinha na porta da geladeira com o tipo sanguíneo dos familiares .

Recebi e estou repassando:

PREVENÇÃO É MELHOR QUE CURA*

PRESSÃO
ARTERIAL

▶120/80 Normal
▶130/85 Normal
(Requer Controle)
▶140/90 Alta
▶150/95 Muito Alta


Batimento Cardíaco por Minuto
🔺72 bpm (padrão)
🔺60 a 80 bpm (Normal)
🔺40 a 180 bpm (anormal)
-----------------

TEMPERATURA
Grau Celsius
🔺36' à 36.7'
Temp. Normal
🔺37.3' à 37.8'
Febril/Atenção
🔺37.8' acima
Febre/Grave

-----------------

Compatibilidade de grupos sanguíneos

Qual é o teu tipo sanguíneo e quão comum é ?

O+ (1 em cada 3)
A+ (1 em cada 3)
B+ (1 em cada12)
AB+ (1 em cada 29)
O- (1 em cada15)
A- (1 em cada 16)
B- (1 em cada 67)
AB- (1 em cada 167)
*O mais raro!

-----------------

Compatibilidade de grupos sanguíneos

✅ Tipo O-
Recebe do O-

✅ Tipo O+
Recebe O+, O-

✅ Tipo A-
Recebe A-, O-

✅ Tipo A+
Recebe do A+, A-, O+, O-

✅ Tipo B-
Recebe do B-, O-

✅ Tipo B+
Recebe do B+, B-, O+, O-

✅ Tipo AB-
Recebe do AB-, B-, A-, O-

✅ Tipo AB+
Recebe do AB+, AB-, B+, B-, A+, A-, O+, O-

Esta é uma informação importante, que pode salvar vidas!

-----------------

Efeito da água
sob o organismo
Sabemos que a água é importante mas você nunca soube o horário correto para beber!

Você sabia ?
Beber água no horário correto maximiza a efetividade do corpo humano;

1 copo de água depois de acordar Ajuda a ativar os Órgãos internos...

1 copo de água 30 Minutos Antes da refeição Ajuda a digestão.

1 copo de água Antes de tomar Banho ajuda a Baixar a pressão arterial.

1 copo de água
Antes de dormir evita AVC ou ataque do coração.

-----------------

'Quando alguém compartilha algo importante contigo, tire benefício disto e compartilhe com mais pessoas.

Eu compartilhei. 😉

publicado por momentoskatia às 16:56

link do post | comentar | favorito
|

Pense bem...

mensagem.jpg

 

publicado por momentoskatia às 16:53

link do post | comentar | favorito
|

Apenas faça...

barco.jpg

Um homem foi chamado para pintar um barco.

Trouxe com ele tinta e pincéis e começou a pintar o barco de um vermelho brilhante, como o dono lhe pediu.

Enquanto pintava, percebeu que havia um furo no casco e decidiu consertá-lo.

Quando terminou a pintura, recebeu seu dinheiro e se foi.

No dia seguinte, o proprietário do barco procurou o pintor e presenteou-o com um belo cheque, muito maior do que o pagamento pela pintura.

O pintor ficou surpreso:

– O senhor já me pagou pela pintura do barco! - disse ele.
– Mas isto não é pelo trabalho de pintura. É por ter consertado o furo do barco.

– Ah! Mas foi um serviço tão pequeno... Certamente, não está me pagando uma quantia tão alta por algo tão insignificante!

– Meu caro amigo, você não compreende. Deixe-me contar-lhe o que aconteceu.

Quando pedi a você que pintasse o barco, esqueci de mencionar sobre o furo.

Quando o barco secou, meus filhos o pegaram e saíram para uma pescaria.

Eles não sabiam que havia um furo. 

Eu não estava em casa naquele momento.

Quando voltei e notei que haviam saído com o barco, fiquei desesperado, pois lembrei-me de que o barco tinha um furo.

Imagine meu alívio e alegria quando os vi retornando da pescaria.

Então, examinei o barco e constatei que você o havia consertado! Percebe, agora, o que fez? Salvou a vida de meus filhos! Não tenho dinheiro suficiente para pagar a sua "pequena" boa ação.

 

💙 Não importa quem, quando ou de que maneira. Apenas ajude, ampare, enxugue as lágrimas, escute com atenção e carinho, e conserte todos os "vazamentos" que perceber, pois nunca sabemos quando estão precisando de nós ou quando Deus nos reserva a agradável surpresa de ser útil e importante para alguém.

 

💙 Pode ser que você tenha tampado inúmeros "furos" de "barcos" de várias pessoas sem saber quantas vidas você já salvou.

 

💙 Em meio a um mundo tão tenebroso e mal, vamos a cada dia propagar tudo aquilo que Jesus nos ensinou: Amar ao próximo como a nós mesmos.

 

Autor desconhecido

publicado por momentoskatia às 15:58

link do post | comentar | favorito (1)
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Serás mãe...

. Conversa entre vô e neto....

. Sobre a morte e o morrer ...

. A mãe do pai

. Essência...

. 12 dicas de um médico jap...

. Cuidado com nossos filhos...

. Aviso importante!!

. Pense bem...

. Apenas faça...

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds