Domingo, 1 de Julho de 2012

Carne

Quando se trata de carne, a vida oferece uma contraditória interpretação entre as duas carnes que a natureza doou e que, de uma maneira ou de outra, têm seu grande consumo garantido no mercado. Uma, regulada pela saúde pública, que, alimentando o estômago, leva-nos à gulodice; a outra, ditada pela força filosófica do 9º. mandamento da Bíblia, sustenta o espírito e nos transporta ao Paraíso.
Mas há também uma espécie de paraíso na carne do primeiro tipo: o paraíso do paladar. Quem resiste a um belo churrasco, a um suculento filé ou aos assados caseiros?
Mas mesmo a carne, que nos é tão familiar, requer muita atenção e cuidados especiais. Aqui vão algumas dicas que podem ser de muito valor. Mas só para a carne do primeiro tipo. Quanto à outra... cada qual que ache as suas próprias dicas...
CLASSIFICAÇÃO DAS CARNES — As carnes chamadas de segunda são assim classificadas, comercialmente, apenas porque são menos macias que o filé, a alcatra e o contrafilé, considerados carnes de primeira; mas são todas igualmente ricas e nutritivas.
A carne chamada de terceira também é rica em proteínas, e poderá ser tão saborosa quanto as outras.
São consideradas:
Carnes de primeira — coxão mole (chã de dentro), patinho, lagarto, alcatra, contrafilé, filé e filé mignon.
Carnes de segunda — paleta, acém, aba, capa de filé e peito.
Carnes de terceira — ponta de agulha (costelas), pescoço, músculos, ossobuco.
COMO CONHECER UMA CARNE FRESCA — Há 3 tipos de carne: a de vaca, a de vitela ou de carneiro, e as carnes brancas.
A carne de vaca de boa qualidade conhece-se pela cor vermelho-púrpura; os ossos são rosados.
As de vitela ou de carneiro são rosa-vivos, e sua gordura ou sebo, bem brancos.
As chamadas carnes brancas (cabrito, leitão etc.) têm carne pálida, e os ossos são de um branco leitoso.
AMACIAR CARNES CRUAS — A carne que veio hoje do açougue não é nada macia e um bife nessas condições ninguém conseguirá comer. Não deixe que à mesa percebam que esta carne não é uma alcatra e muito menos um filé.
As enzimas mais usadas para amaciar carnes são: a papaina de mamão e a bromelina de abacaxi.
Para amaciar, use um dos seguintes procedimentos:
Ponha no tempero algumas gotas de leite de mamão.
Misture aos bifes temperados alguns pedaços de mamão verde, ou perfure-os com um garfo, colocando sobre eles folhas perfuradas de mamão.
Corte fatias finas de abacaxi e coloque-as sobre os bifes.
Também misturar aos bifes duros e temperados um pouco de mamão verde ralado (temperar de véspera).
Esfregue suco de lima, ou de laranja azeda, por toda a carne, algum tempo antes de levá-la ao fogo.
Mas poderá também tapear derramando sobre os bifes crus um pouco de conhaque, deixando repousar por algum tempo antes de usar. Não tenha receio porque o conhaque não altera o gosto e a carne ficará bem macia.
Ou, ainda, jogue sobre eles um pouco de refrigerante tipo cola.
A pinga pode substituir o conhaque; é muito mais barata e... quem é que não tem em casa uma garrafinha de pinga?
O presunto ou o toucinho duros poderão ser amaciados quando colocados por alguns minutos em água quente.
AMOLECER CARNES COZIDAS — Se a carne refogada e ensopada estiver no fogo e continuar dura, coloque dentro da panela 1 colherzinha de café ou de chá de fermento em pó, dependendo da quantidade da carne. Uma laranja espremida dentro do ensopado de carne que não amolece vai deixá-lo logo macio e com uma bonita cor avermelhada. Esse procedimento é muito bom também para amolecer a carne-de-sol (ou carne-seca) ensopada. Se a carne ensopada já estiver há muito tempo no fogo e não amolecer, junte a ela 1 colher (sopa), ou mais, de uísque. Para a carne assada amolecer, adicione um pouco de conhaque ou de pinga e deixe cozinhando por mais alguns minutos.
CONSERVAR CARNES COZIDAS — Assim como as aves fritas ou assadas, elas também se conservarão por 6 meses a 1 ano, quando guardadas inteiramente mergulhadas em banha, permanecendo todo esse tempo em lugar fresco, para que a banha se mantenha sólida. Isso, na falta de um freezer ou congelador.
CONSERVAR CARNES CRUAS — Na falta de uma geladeira, há várias maneiras para se conservar as carnes cruas: Colocar a carne dentro de uma vasilha de barro esmaltada e cobrir com leite. Este, após 24 horas, talha e azeda; isto em nada prejudicará a carne, até pelo contrário, melhora o gosto e fica mais tenra. Colocar a carne dentro de uma vasilha esmaltada de barro e derramar sobre ela uma água que se deixou ferver durante 3 minutos após ter levantado a fervura. Feito isso, regue toda a superfície da água com óleo ou azeite, formando uma película que isolará o ar.
Para conservar por períodos mais curtos, afervente a carne, ou passe-a em gordura bem quente, sem contudo cozinhá-la; ela se conservará por uns 4 a 5 dias. Se for necessário guardá-la por longo período, é preferível recorrer à salmoura, defumação, ou ainda secá-la ao sol e ao ar (carne-seca ou de vento).
Por período menor, basta embrulhá-la num pano embebido em vinagre. No congelador, quando guardar carnes frescas no congelador, faça-o de preferência dividindo-as aos pedaços, para que não seja necessário descongelar o peso todo. Para que a carne ao ser descongelada não apresente aquele aspecto escuro, antes de guardar os pedaços espalhe sobre eles um pouco de óleo de oliva (azeite). Guarde-os no congelador, bem acondicionados em sacos plásticos.
PREPARO DAS CARNES BIFES COMUNS — Os bifes, quer sejam bem passados, ao ponto ou malpassados, deverão ser feitos sempre em frigideira de ferro previamente bem aquecida, antes mesmo de se colocar a manteiga ou margarina, as quais também deverão estar bem quentes, até atingirem aquela cor marrom dourada (não queimada).
Os bifes deverão também ser fritos um a um, para que não soltem água, pois se isso acontecer eles ficarão rijos e cozidos.
BIFES À MILANESA — Ficarão mais saborosos e com melhor aspecto se forem passados primeiramente em farinha de rosca, em seguida nos ovos batidos e novamente na farinha de rosca, fazendo um pouco de pressão sobre eles com as mãos, para que a farinha fique bem aderida. Não devem ser fritos imediatamente, pois as cascas se soltariam; aguarde pelo menos uns 15 minutos. Depois, é só fritar em gordura quente e abundante.
Quando sobrarem alguns desses bifes já prontos, transforme-os em outro prato saboroso, colocando-os em um pirex e, sobre cada um, fatias de mozarela, molho de tomate, queijo parmesão e orégano. Leve ao forno por uns quinze minutos (filé à parmegiana).
CARNE DE VACA - Sempre que preparar lombo, pernil, costeleta e carne assada (lagarto ou outra), mergulhe-os inteiramente num recipiente cheio de água fria, por mais ou menos 1 hora, antes de colocar qualquer tempero.
Isso fará com que, depois de assadas, as carnes fiquem branquinhas por dentro. Antes de colocar essas peças em vinha-d'alhos, fure-as e esfregue por toda a superfície sal com alho amassado e pimenta-do-reino, deixando repousar por alguns instantes. Assim procedendo, a carne ficará mais saborosa, pois absorverá melhor todos os temperos da sua vinha-d'alhos.
CARNE ASSADA DE PANELA — Essa carne tanto pode ser assada na panela (carne de panela) como no forno. Se for assar na panela um lagarto redondo, este deverá ser enrolado fortemente com um barbante grosso, para que não encolha muito; depois de corado, cozinhar em fogo brando.
Se essa carne que está assando estiver demorando muito para amolecer, coloque dentro de sua panela alguns tomates maduros, que logo ela ficará macia. Se você se descuidou e a carne que está no fogo queimou, passe-a rapidamente para outra panela, junte uma cebola inteira (com a casca) lavada, ponha água quente e deixe ferver por algum tempo, até que desapareça o gosto de queimado. Faça então um refogado com óleo, cebola e tomate, ponha aí a carne e termine de assá-la.
CARNE ASSADA NO FORNO — O melhor peso de carne para assar no forno é o lagarto redondo. O papel alumínio é ótimo para cobrir assados no forno até que a carne esteja macia (não desmanchando), quando então ele deve ser retirado, para corar a carne. Se, ao retirar a carne assada do forno, verificar que ela está grudada na assadeira, coloque esta sobre uma vasilha contendo água fria por alguns minutos. Assim será bem mais fácil soltar o assado, sem perigo de desmanchar. Quando o assado estiver correndo o risco de queimar, coloque dentro do forno uma vasilha contendo água fria.
CARNE PARA SOPA — Quando refogar carne para sopa, ou mesmo para fazer um ensopado, não use panelas muito pequenas, pois a carne, se amontoando, sora (solta água) em vez de corar. BUCHO — DOBRADINHA — Antes de limpar a dobradinha, esfregue bem nela fubá ou farinha de trigo ou ainda suco de limão, para que ela fique mais agradável.
Ao cozinhar dobradinha (bucho), coloque uma rolha dentro da panela; além de apressar seu cozimento, também vai absorver aquele cheiro desagradável que invade toda a casa.
É muito bom também, para que ela cozinhe mais depressa, colocar um pouco de bicarbonato dentro da panela. Uma laranja ácida, com casca e cortada ao meio, colocada na água do seu cozimento, vai reduzir muito seu odor.
FÍGADO — Mergulhando esta carne em água fervendo, sua pele sairá com mais facilidade. Para atenuar seu gosto forte e tornar sua carne mais digestiva, antes de ser temperada, deixe seus bifes ficarem de molho em leite frio por uns 40 minutos. Jogue então esse leite fora, lave-os e tempere a gosto.
HAMBÚRGUER — Se você está em cima da hora para sair, e tem poucos minutos para preparar seu hambúrguer para o almoço, antes de colocá-lo na frigideira finque um dedo seu bem no meio dele fazendo um buraco; só assim o hambúrguer vai ficar pronto muito mais depressa, e você não chegará atrasada em seu compromisso.
E, depois do hambúrguer pronto... era uma vez um buraco...
RIM — Muito apreciado pelos gastrônomos, mas por outros rejeitado por causa do seu cheiro e sabor fortes. No entanto, eles poderão ser atenuados se, antes de se limpar o rim, o deixarmos mergulhado completamente num recipiente fundo, onde se colocou água fria e pó de café (2 colheres de sopa para cada 1/2 litro de água), deixando assim de molho por 1 hora a 1 e 1/2, mas nunca menos de 1 hora. Depois, tratar e limpar como de costume.
SALSICHA — Se quiser guardar salsichas frescas até por cinco ou seis dias, deixe-as mergulhadas dentro de uma tigela contendo água com 1 colher (sopa) de vinagre (ou mais, dependendo da quantidade de salsicha), e um pouquinho de sal. Guarde na geladeira. Na hora de usar, é só lavar em água pura.
Não mande à mesa, nem sirva salsichas estouradas, arrebentadas; além de feias, vai tirar todo o prazer de comê-las.
Porém, isso não irá acontecer se, antes de irem ao fogo para cozinhar, forem deixadas de molho no leite, por algum tempo.
VITELA — Essa carne não deve levar pimenta nos temperos, pois ficará completamente amarga.
Fonte:http://adoromeular.blogspot.com.br/2009/03/carne.html
publicado por momentoskatia às 02:41

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. 12 dicas de um médico jap...

. Cuidado com nossos filhos...

. Aviso importante!!

. Pense bem...

. Apenas faça...

. Depois dos 35 anos...

. Curiosidades literárias

. O que faz bem e o que faz...

. Envelhecer faz parte da v...

. A alma só envelhece se vo...

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds