05
Jul 22

mulher.jpg

"Minha Mãe tinha muitos problemas. Não dormia e se sentia esgotada. Era irritada, rabugenta e azeda. E sempre estava doente, até que um dia, de repente, ela mudou.

A situação estava igual, mas ela era diferente.

Certo dia, meu Pai lhe disse:
- Amor, estou há três meses à procura de emprego e não encontrei nada, vou tomar umas cervejinhas com os amigos.
Minha mãe lhe respondeu:
- Tudo bem.

Meu irmão lhe disse:
- Mãe, eu vou mal em todas as matérias da faculdade...
Minha mãe lhe respondeu:
- Tudo bem, você já vai se recuperar, e se você não conseguir, repete o semestre, mas você paga a matrícula.

Minha irmã lhe disse:
- Mãe, bati o carro.
Minha mãe lhe respondeu:
- Tudo bem filha, leve-o para a oficina, procure uma forma de como pagar e enquanto o arrumam, vá trabalhar de ônibus ou no metrô.

Sua nora lhe disse:
- Sogra, venho passar uns meses com vocês.
Minha mãe lhe respondeu:
- Tudo bem, ajeita-se na poltrona da sala e procura uns cobertores no armário.

Todos nós na casa da minha mãe nos reunimos preocupados ao ver essas reações.

Suspeitávamos que tivesse ido ao médico e o mesmo lhe receitara uns comprimidos de 'se virem de 1.000 mg'. Com certeza também estaria a ingerir uma overdose.

Propusemos então fazer uma 'Intervenção' a minha mãe para afastá-la de qualquer possível vício que tivesse para algum medicamento anti-birras.

Mas qual não foi a surpresa, quando todos nos reunimos em torno dela e minha mãe nos explicou:
- Demorei muito tempo para perceber que cada um é responsável pela sua vida, demorei anos para descobrir que minha angústia, minha mortificação, minha depressão, minha coragem, minha insônia e meu estresse, não resolviam seus problemas mas sim que exacerbados os meus, cansei infelizmente, e antes que eu tenha um AVC e venha a óbito, eu entendi que não sou responsável pelas ações dos outros, mas sim sou responsável pelas reações que eu expresse diante disso.

Portanto, cheguei à conclusão de que o meu dever para comigo mesma, é manter a calma e deixar que cada um viva sua vida e resolva o que lhe cabe."

publicado por momentoskatia às 19:49

idosos.jpg

Ele tem 80 anos de idade e toma café da manhã todos os dias com sua esposa.
Eu perguntei:

por que sua esposa está em casa de repouso?
Ele disse: -

Porque ela tem Alzheimer (perda de memória).
Eu perguntei: a sua esposa se preocupa e sempre te espera para ir tomar café com ela?
E ele respondeu: 

- Ela não se lembra... Já não sabe quem eu sou, faz cinco anos, já não me reconhece.
Surpreso, eu disse:
- E ainda toma café da manhã com ela todas as manhãs, mesmo que ela não te reconheça?
O homem sorriu e olhou para os meus olhos e apertou minha mão. Em seguida, disse:
- "Ela não sabe quem eu sou, mas eu sei quem ela é".

publicado por momentoskatia às 19:44

idoso1.jpg

Se meu andar é hesitante e minhas mãos trêmulas, ampare-me.
Se minha audição não é boa e tenho de me esforçar para ouvir o que você está dizendo, procure me entender.
Se minha visão é imperfeita e o meu entendimento escasso, ajude-me com paciência.
Se minha mão treme e derrubo comida na mesa ou no chão, por favor, não se irrite, tentei fazer o que pude.
Se você me encontra na rua, não faça de conta que não me viu. Pare pra conversar comigo. Sinto-me só.
Se você, na sua sensibilidade, me ver triste e só, simplesmente partilhe comigo um sorriso e seja solidário.
Se lhe contei pela terceira vez a mesma história num só dia, não me repreenda, simplesmente ouça-me.
Se me comporto como criança, cerque-me de carinho.
Se estou com medo da morte e tento negá-la, por favor, ajude-me na preparação para o adeus.

(Jairo Valio). -------- 15 de junho- Dia Mundial contra a violência sobre o Idoso.

 

publicado por momentoskatia às 19:40

homem1.jpg

Um homem sofria pelo pior que poderia acontecer a um ser humano. Seu filho estava morto!
Desde sua morte, e por muitos anos, não conseguia dormir. Ele chorava até amanhecer, até que um dia um anjo em seu sonho lhe diz:
"Para de chorar"
"Eu não posso suportar ficar sem vê-lo"- respondeu o homem.
O anjo Disse: você quer vê-lo?

O Homem disse sim!
O anjo pegou-o pela mão e disse agora vai vê-lo!
Então o anjo dá ordem para um monte de crianças vestidas de branco como anjos e com uma vela acesa em suas mãos. O homem diz:
Quem são eles? E o anjo responde: são as crianças que morreram, eles fazem esse passeio todos os dias porque eles são puros.
O meu filho está entre eles? Perguntou o homem.
O anjo logo respondeu: Sim agora voce vai vê-lo!
Enquanto isso passavam centenas e centenas de crianças. Lá vem o garoto, E o homem o vê radiante como se lembrava. Mas de repente ele nota uma coisa: Entre todos os garoto é o único que tem a vela apagada.
O homem fica muito triste, o menino vê o pai e vem correndo e eles se abraçam bem forte.
E o homem diz: Filho, porque a tua vela não está acesa como as dois outros?
Seu filho responde: Pai, minha vela é acesa todos os dias como a de todos mas...., sabe?
Suas lágrimas caem todas as noites e apaga.

Autor desconhecido

publicado por momentoskatia às 19:38

cão.jpg

Eu sou aquele que te espera...
O teu carro tem um som especial e eu posso reconhecê-lo entre mil.
Os teus passos têm uma campainha mágica, são música para mim.
A tua voz é o maior signo do meu tempo feliz e, às vezes, não é necessário mencionar: ouço a tua tristeza.
Se vejo a tua alegria, faz-me feliz!

Não sei o que é cheiro bom ou mau, só sei que o teu cheiro é o melhor.
Algumas presenças às vezes eu gosto, outras, nem tanto.
Mas a tua presença é o que move os meus sentidos.

Seu despertar, me acorda.
Dormindo você é meu Deus, descansando em casa, e eu o seu sonho.
O teu olhar é um raio de luz, quando me dou conta do teu despertar...
As tuas mãos sobre mim, têm a leveza da paz. E, quando você sai, tudo está vazio outra vez... E volto a esperar sempre e sempre...
Pelo som do seu carro;
Pelos teus passos;
Pela tua voz;
Pelo teu estado sempre inconstante do humor;
Pelo teu cheiro;
Pelo teu repouso sob a minha vigília;
Pelos teus olhos;
Pelas tuas mãos.
E assim sou feliz.

Eu sou aquele que te espera:
Sou o teu cão!

Autor Desconhecido

 

publicado por momentoskatia às 19:12

01
Jun 22

cachorro.jpg

"Perguntei ao meu veterinário qual a parte mais difícil da sua profissão. Ele me disse que é quando vai sacrificar algum animal. Que 90% dos donos preferem não ficar na sala, e quando ele começa a injetar, os animais ficam insistentemente olhando em volta, procurando por seus donos pela sala... Isso quebrou meu coração.

Ele disse: Quando se é dono de algum pet, geralmente ele se vai antes de você. Então, quando você o leva para o veterinário para ser eutanasiado, você precisa saber de uma coisa: você está no centro do universo pra ele. Eles são apenas parte da sua.

Então, eu imploro: Não os deixe! Não faça com que essa transição da vida para a morte seja feita num lugar apenas com estranhos. O que as pessoas precisam saber é que ELES PROCURAM POR VOCÊ QUANDO VOCÊ OS DEIXA PRA TRÁS.

Eles procuram em cada face naquela sala por alguém que eles amam.

Eles não entendem o porque de você tê-los deixado quando estão doentes, com dor, velhinhos, assustados.

Se é difícil pra você, imagine pra eles, que estão no momento mais vulnerável de suas vidas, e pessoas como eu (veterinário) tendo que explicar, olhando eles assustados, que você apenas não está lá..."

Fique e segure a mão do seu amigo... e ele terá a última visão da pessoa mais especial, você...

publicado por momentoskatia às 23:48

13
Abr 22

vo.jpg

"Há um período em que os pais vão ficando órfãos de seus próprios filhos. É que as crianças crescem independentes de nós, como árvores tagarelas e pássaros estabanados.

Crescem sem pedir licença à vida.

Crescem com uma estridência alegre e, às vezes, com alardeada arrogância. Mas não crescem todos os dias, de igual maneira, crescem de repente.

Um dia, sentam-se perto de você e dizem uma frase com tal maturidade que você sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura.

Onde é que andou crescendo aquela danadinha que você não percebeu?

Cadê a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversário com palhaços e o primeiro uniforme do maternal?

A criança está crescendo num ritual de obediência orgânica e desobediência civil.

E você está agora ali, na porta da discoteca, esperando que ela não apenas cresça, mas apareça!

Ali estão muitos pais ao volante, esperando que eles saiam esfuziantes sobre patins e cabelos longos, soltos.

Entre hambúrgueres e refrigerantes nas esquinas, lá estão nossos filhos com o uniforme de sua geração: incômodas mochilas da moda nos ombros.

Ali estamos, com os cabelos esbranquiçados.

Esses são os filhos que conseguimos gerar e amar, apesar dos golpes dos ventos, das colheitas, das notícias, e da ditadura das horas.
E eles crescem meio amestrados, observando e aprendendo com nossos acertos e erros.

Principalmente com os erros que esperamos que não repitam.

Há um período em que os pais vão ficando um pouco órfãos dos próprios filhos.

Não mais os pegaremos nas portas das discotecas e das festas.
Passou o tempo do ballet, do inglês, da natação e do judô.
Saíram do banco de trás e passaram para o volante de suas próprias vidas.

Deveríamos ter ido mais à cama deles ao anoitecer para ouvirmos sua alma respirando conversas e confidências entre os lençóis da infância, e os adolescentes cobertores daquele quarto cheio de adesivos, posters, agendas coloridas e discos ensurdecedores.

Não os levamos suficientemente ao Playcenter, ao shopping, não lhes demos suficientes hambúrgueres e cocas, não lhes compramos todos os sorvetes e roupas que gostaríamos de ter comprado.

Eles cresceram sem que esgotássemos neles todo o nosso afeto.
No princípio, subiam a serra ou iam à casa de praia entre embrulhos, bolachas, engarrafamentos, natais, páscoas, piscina e amiguinhos.
Sim, havia as brigas dentro do carro, a disputa pela janela, os pedidos de chicletes e cantorias sem fim.

Depois chegou o tempo em que viajar com os pais começou a ser um esforço, um sofrimento, pois era impossível deixar a turma a os primeiros namorados.

Os pais ficaram exilados dos filhos.

Tinham a solidão que sempre desejaram, mas, de repente, morriam de saudades daquelas "pestes".

Chega o momento em que só nos resta ficar de longe torcendo e rezando muito (nessa hora, se a gente tinha desaprendido, reaprende a rezar) para que eles acertem nas escolhas em busca de felicidade.

E que a conquistem do modo mais completo possível.
O jeito é esperar: qualquer hora podem nos dar netos.
O neto é a hora do carinho ocioso e estocado, não exercido nos próprios filhos, e que não pode morrer conosco.

Por isso os avós são tão desmesurados e distribuem tão incontrolável carinho. Os netos são a última oportunidade de reeditar o nosso afeto.
Por isso é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que eles cresçam.

Aprendemos a ser filhos depois que somos pais. Só aprendemos a ser pais depois que somos avós..."

- Affonso Romano de Sant'Anna

publicado por momentoskatia às 21:09

21
Mar 22

pílula.jpg

 
Lê bem: métodos contraceptivos são conquistas feministas.

Houve um tempo em que fazer sexo por prazer era um privilégio masculino. Mulheres sofriam porque relações sexuais significavam risco de gravidez indesejada - por isso, para as mulheres o sexo sempre foi algo condenável.

Os debates feministas que envolviam a busca por uma autodeterminação reprodutiva, buscaram saída na ciência. Mulheres como Margaret Sanger, ativista e educadora sexual, e a bióloga Karherine McCormick tiveram envolvimento direto no surgimento da primeira pílula, em 1960.

Houve crítica de todos os setores conservadores, que viam a gravidez como um processo natural que não deveria ter interferência - os mesmos setores que hoje condenam a luta pelo aborto seguro.

Ao longo dos anos, a ciência transformou as fórmulas destas pílulas, mas os efeitos colaterais ainda podem causar danos graves ao organismo das mulheres.

Os movimentos feministas compreendem a conquista de cada método contraceptivo - mas questionam: porque 50 anos depois, ainda não existem pílulas contraceptivas destinadas ao uso dos homens?

Nós respondemos:
1. As farmacêuticas não estão dispostas a revolucionar algo que já funciona do jeito que está. Mais de 214 milhões de mulheres usam pílulas anticoncepcionais, movimentando US$18 bilhões por ano.

2. É cômodo apenas deixar o peso do cuidado com a contracepção com as mulheres. Homens estão dispostos a assumir essa responsabilidade e os riscos de saúde provocados pelo medicamento?

A última pesquisa, de 2016 foi interrompida porque os efeitos colaterais eram os mesmos a que mulheres estão submetidas.

A questão não é científica, é social.

Texto: @janarambow
Imagem: @revistatpm

#AnticoncepcionalMasculino #EfeitosColaterais
 
Fonte - facebook - 

Arquivos Feministas

publicado por momentoskatia às 12:02

marilyn.jpg

 
" Estas duas fotos de Marilyn Monroe estão aqui pra te lembrar algo fundamental, um "acorda": mulheres lindas, maravilhosas, sensuais podem ter curvas, não precisam usar 38, nem ter barriga negativa, braços esguios, peitos empinados, pele lisinha.
.
Uma das mulheres mais sexy do mundo era assim, voluptuosa, carnuda, gostosa. Por favor, a gente não pode acreditar que só existe um tipo de beleza - e que ela é esquálida, branca, jovem, sarada e que ganha beiços, bochechas e sei lá mais o que a cada temporada.
.
Não! Existem magras, gordas, curvilíneas, saradas, molinhas, com furinhos, com marcas da vida, baixas, altas, velhas, jovens, pretas, brancas, peludas, cabeludas, carecas.
.
Mulher não é boneca, não tem molde. A gente tem é que entender a nossa beleza e cuidar dela com carinho, esquecer este padrão castrador que diz muito mais sobre domínio, exploração, controle, submissão, insatisfação.
.
Se a gente for atrás dele, do maledeto padrão, pira, afinal, nunca seremos belas, magras, jovens, boas, beiçudas o suficiente, né?
.
Cada uma tem que saber do seu corpo, de como se sente bem, de como gosta de se ver, de se perceber, sem regras. Sem regras. Libere a Marilyn que tá guardadinha aí.
.
(Marilyn Monroe morreu jovem, aos 36 anos).
.
Fonte: Patrícia Pontalti (Facebook - 

saporra da Menopausa

publicado por momentoskatia às 11:46

28
Fev 22

idosos.jpg

Ele tem 85 anos e insiste em segurar a mão da esposa por onde passa ... Quando lhe perguntei por que sua esposa estava distraída, como se não estivesse seguindo ninguém, ele respondeu: "ela tem Alzheimer".
Então eu perguntei a ele: "Sua esposa ficará preocupada se você soltar a mão dela?"

E ele me respondeu: "ela não lembra, ela não sabe mais quem eu sou, ela não me reconhece há anos".
Surpreso, eu disse a ele, "e ainda assim você continua a guiá-la na estrada todos os dias, mesmo que ela não o reconheça."
Ele sorriu, olhou nos meus olhos e disse: "Ela não sabe quem eu sou, mas eu sei quem ela é."

autor desconhecido

publicado por momentoskatia às 21:31

Julho 2022
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO