12
Ago 19

60426880_1137900863048314_6661786162073436160_n.jp


Mãe é quem fica.
Depois que todos vão.
Depois que a luz apaga.
Depois que todos dormem.
Mãe fica.

 

Às vezes não fica em presença física.
Mas mãe sempre fica.
Uma vez que você tenha um filho, nunca mais seu coração estará inteiramente onde você estiver.
Uma parte sempre fica.

 

Fica neles.
Se eles comeram.
Se dormiram na hora certa.
Se brincaram como deveriam.
Se a professora da escola é gentil.
Se o amiguinho parou de bater.
Se o pai lembrou de dar o remédio.

 

Mãe fica.
Fica entalada no escorregador do espaço kids pra brincar com a cria.
Fica espremida no canto da cama de madrugada pra se certificar que a tosse melhorou.
Fica com o resto da comida do filho, pra não perder mais tempo cozinhando.

 

É quando a gente fica que nasce a mãe.
Na presença inteira.
No olhar atento.
Nos braços que embalam.
No colo que acolhe.

 

Mãe é quem fica.
Quando o chão some sob os pés.
Quando todo mundo vai embora.
Quando as certezas se desfazem.
Mãe fica.

 

Mãe é a teimosia do amor, que insiste em permanecer e ocupar todos os cantos.
É caminho de cura.
Nada jamais será mais transformador do que amar um filho.
E nada jamais será mais fortalecedor que ser amado por uma mãe.

 

É porque a mãe fica, que o filho vai.
E no filho que vai, sempre fica um pouco da mãe:
em um jeito peculiar de dobrar as roupas.
Na mania de empilhar a louça só do lado esquerdo da pia.
No hábito de sempre avisar que está entrando no banho.
Na compaixão pelos outros.
No olhar sensível.
Na força pra lutar.

 

No coração do filho, mãe fica.

 

via: Passarinhos no telhado
Fonte: Facebook - Um pouco mais de Filosofia

publicado por momentoskatia às 21:56

19
Jul 19

Masculino curado_instagram_link no meu email_posta

Um masculino curado é aquele que com muita coragem, conseguiu resgatar a essência do feminino sagrado dentro de si, e por isso consegue honrar e proteger o feminino que se manifesta fora, na forma de mulher, na forma da Mãe Terra.
Mesmo já tendo nascido com suas camisas de futebol e jogos de lutinha, estes homens decidem conscientemente ser ou não competitivos, pois compreendem os princípios da irmandade, da cooperação e respeito. 
Mesmo que durante toda a sua vida tenham visto o corpo da mulher sendo propaganda de todo tipo de produto (de carro a cerveja), não escolhem suas parceiras pela medida do silicone, pelos músculos definidos do abdome ou por uma bunda perfeita... mas pelo gosto, pelo cheiro, pelo ritmo, pela frequência e conexão da alma, mente e coração. 
Mesmo que a pornografia tenha regido os primeiros movimentos desta sexualidade, o masculino curado já não mais se alimenta de uma psicogenese de fantasias, mas sim de verdadeiras sensações, o que permite que ele realmente se empenhe em conhecer seu corpo e o corpo de uma mulher. 
Ao se relacionar intimamente, o Masculino Curado se aceita vulnerável; mesmo que "homem não chore", este é capaz de entrar em contato com suas emoções, é capaz de externalizar o que sente e de receber os processos internos de outros.
Assim, é totalmente auto responsável na cura e manutenção de suas relações. 
Estes homens, ao terem filhos, sabem que o cuidado não é de exclusividade da mãe; mesmo tendo tido uma infância de carrinho para meninos e bonecas para meninas.
Ao ver sua mulher parideira, o masculino curado honra e admira ainda mais sua parceira, mesmo que tenham dito a ele que a medicina faz o trabalho mais bem feito. 
Mesmo não tendo sido estimulados a se conectar com a Mãe Terra, estes homens são cuidadores, prezam pela sustentabilidade, pelo consumo consciente. 
Por conhecer da Mãe Terra, se tornam capazes de honrar e respeitar os movimentos cíclicos das mulheres. 
Compreendem os ciclos de impermanência da vida, desenvolvendo consciência, estabilidade e equanimidade em seus processos...

 

Fonte: Instagram - @eusuperior - 

https://www.instagram.com/eusuperior/p/BwstLvdBwhv/?utm_source=ig_share_sheet&igshid=1gb4y2t1t0me8

publicado por momentoskatia às 22:04

16
Jul 19

anjos10.jpg

Moshe Maimonides classifica os anjos na Bíblia sob as seguintes dez fileiras:

  1. Chayot HaKodesh (Santos seres viventes), um grupo de anjos mencionados em Ezequiel 1 e 10 como estando perto do trono e a carruagem de Deus. Eles têm quatro asas e quatro faces (homem, leão, boi e águia);
  2. Ophanim (Rodas), anjos associados com o trono de Deus e mencionados em Ezequiel 1:15–21 e Daniel 7:9 (e o livro de Enoque). Eles parecem rodas dentro de rodas e são cobertos com olhos;
  3. Erelim (Os valentes), anjos mencionados em Isaías. Na tradição mística judaica, eles são usados para ser unidos a momentos de tristeza, de morte ou destruição (Isaías 33:7);
  4. Chashmalim (Brilhantes), descritos em Ezequiel 1:4;
  5. Serafim (Anjos de fogo) que tem seis asas de anjos que Isaías 6:2–3 descreve como um coro masculino que canta: “Santo, Santo, Santo, Senhor Deus dos exércitos; o céu e a terra estão cheia de sua glória”. Em Isaías 6:6, um Serafim purifica os lábios do profeta Isaías com um carvão do altar;
  6. Malachim (Mensageiros), que Isaías descreve como trazendo conforto para as pessoas em sua angústia, e que o livro de Salmos promete que vão proteger o povo de Deus. De acordo com o misticismo judaico, Rafael leva essa classe dos anjos;
  7. Elohim (Seres piedosos) mencionados no Salmo 8:5;
  8. Benei Elohim (Filhos de Deus), anjos que se concentram em trazer glória a Deus. De acordo com o misticismo judaico, eles são liderados pelo Arcanjo Michael;
  9. Querubim (Aquele que está perto), anjos descritos por Ezequiel como tendo quatro faces, que entre outras coisas, guardam o jardim de Eden e o caminho para a árvore da vida com uma espada flamejante (Gn 3:24). De acordo com a Cabala, eles são liderados pelo Arcanjo Gabriel;
  10. Ishim (Guardiões), anjos descritos no livro de Daniel, como sendo o homem, como (Gn 18:2; Dn 10:5).

De acordo com o pensamento judeu, mesmo que todos eles têm um intelecto superior, alguns anjos entendem Deus e seus caminhos melhores do que outros. O ranking acima indica o grau de compreensão do anjo de Deus.

Uma oração litúrgica que povo judeu recita antes de ir dormir, reconhece e busca a proteção oferecida pelos quatro anjos específicos (chamados no Talmud como arcanjos) e pelo próprio Deus:

A minha direita Miguel e a minha esquerda Gabriel, Uriel na minha frente e atrás de mim, Raphael e sobre a minha cabeça Shekhinah de Deus [a presença de Deus].”

Na tradição judaica, Michael é o anjo da misericórdia; Gabriel, justiça; Raphael, cura; e Uriel, iluminação.

Fonte: http://shemaysrael.com/quem-sao-os-anjos/

publicado por momentoskatia às 20:47

Os-Arcanjos-e-a-Árvore-da-Vida-830x450.jpg

5bda5f3fb2f4c05a6e958d8e6dbe5fc7.jpg

A Cabala é um sistema esotérico judaico que foi criado para a obtenção do conhecimento sobre Deus. A palavra cabala vem do hebraico e significa “aquilo que é recebido”. A Cabala derivou-se de uma tradição oral chamada Mercava, que remonta ao século I d;C., relacionada à contemplação do divino trono ou a carruagem (Merkaba) em Ezequiel 1:1-28.

Em algum momento entre os séculos III e VI, surgiu um livro chamado Sefer yetzirah ou Livro da Formação. Esse livro ensinava que a criação ocorrera quando dez emanações chamadas Sefiroth misturaram-se com as 22 letras do alfabeto hebraico.

Elas eram chamadas –  32 Caminhos da Sabedoria Secreta e, juntas, formam o que é conhecido como Árvore da Vida.

E, surpreendentemente, esse simples diagrama consegue simbolizar todo o Universo.

A Árvore da Vida consiste em dez sefiroth, ou esferas, com 22 caminhos ou linhas que as ligam. “Sefiroth” (ou “sefirah”, no singular) vem de uma palavra hebraica que significa safira; presume-se que ela tenha sido escolhida para demonstrar a glória e a radiância de Deus. As dez esferas representam estados do ser, enquanto os 22 caminhos simbolizam estados de tornar-se.

A simbologia da Árvore da Vida gradualmente evoluiu e desenvolveu-se ao longo dos séculos, tendo aparecido pela primeira vez em sua forma definitiva em 1652.

A árvore tem três pilares.

  • No lado esquerdo fica o Pilar da Severidade, que é passivo e negativo por natureza.
  • À direita, está o Pilar da Misericórdia, que é positivo e ativo.
  • O pilar central é o Caminho do Meio, ou do equilíbrio. Ele representa um caminho ao longo da vida que reconhece os dois extremos, mas recusa-se a entregar-se a um deles.

Cada sefirah tem um conjunto particular de associações:

1 – Kether, a coroa. Arcanjo: Metatron, anjo da presença. Mundo angélico mais elevado: Deus. Planeta Urano. Zodíaco: Aquário. Pedra: Diamante.

2 – Chokmah, sabedoria. Arcanjo: Raziel, arauto de Deus. Mundo angélico mais elevado: serafins. Planeta: Plutão. Zodíaco: Escorpião. Pedra: turquesa. O grande pai.

3 – Binah, compreensão. Arcanjo: Tzafquiel, preocupação de Deus. Mundo angélico mais elevado: querubim. Planeta: netuno. Zodíaco: peixes. Pedra: pérola. A grande mãe.

4 – Chesed, misericórdia. Arcanjo: Tzadquiel, justiça de Deus. Mundo angélico mais elevado: tronos. Planeta: júpter. Zodíaco: sagitário. Pedra: safira.

5 – Geburah, força. Arcanjo: camael, severidade de Deus. Mundo angélico mais elevado: domínios. Planeta: marte. Zodíaco: Áries. Pedra: rubi.

6 – Tifareth, beleza. Arcanjo Miguel, semelhante a Deus. Mundo angélico mais elevado: virtudes. Planeta: sol. Zodíaco: leão. Pedra: topázio.

7 – Netzach, vitória. Arcanjo: haniel, prazer de deus. Mundo angélico mais elevado: poderes. Planeta: Vênus. Zodíaco: touro e libra. Pedra: esmeralda.

8 – Hod, esplendor. Arcanjo: Miguel. Mundo angélico mais elevado: principados. Planeta: mercúrio. Zodíaco: gêmeos e virgem. Pedra: opala.

9 – Yesod, fundamento. Arcanjo: Gabriel, força de Deus. Mundo angélico mais elevado: arcanjos. Planeta: lua. Zodíaco: câncer. Pedra: quartzo.

10 – Malkuth, reino. Arcanjo: Sandalfon, príncipe do Mundo na Terra. Mundo angélico mais elevado: anjos. Planeta: saturno. Zodíaco: capricórnio. Pedra: cristal de rocha.

Fonte: https://osegredo.com.br/os-arcanjos-e-arvore-da-vida/

publicado por momentoskatia às 19:52

24
Jun 19

images.jpg

Profunda reflexão de Bert Hellinger, o alemão que já foi padre, largou o celibato e tornou-se psicoterapeuta e escritor.

Atualmente está com 93 anos. Ficou conhecido mundialmente pela criação do método "Constelação Familiar”


"A vida decepciona-o pra você parar de viver com ilusões e ver a realidade.
A vida destrói todo o supérfluo até que reste somente o importante.
A vida não te deixa em paz, para que deixe de culpar-se e aceite tudo como "É".
A vida vai retirar o que você tem, até você parar de reclamar e começar agradecer.
A vida envia pessoas conflitantes para te curar, pra você deixar de olhar para fora e começar a refletir o que você é por dentro.
A vida permite que você caia de novo e de novo, até que você decida aprender a lição.
A vida lhe tira do caminho e lhe apresenta encruzilhadas, até que você pare de querer controlar tudo e flua como um rio.
A vida coloca seus inimigos na estrada, até que você pare de "reagir".
A vida te assusta e assustará quantas vezes for necessário, até que você perca o medo e recupere sua fé.
A vida tira o seu amor verdadeiro, ele não concede ou permite, até que você pare de tentar comprá-lo.
A vida lhe distancia das pessoas que você ama, até entender que não somos esse corpo, mas a alma que ele contém.
A vida ri de você muitas e muitas vezes, até você parar de levar tudo tão a sério e rir de si mesmo.
A vida quebra você em tantas partes quantas forem necessárias para a luz penetrar em ti.
A vida confronta você com rebeldes, até que você pare de tentar controlar.
A vida repete a mesma mensagem, se for preciso com gritos e tapas, até você finalmente ouvir.
A vida envia raios e tempestades, para acorda-lo.
A vida o humilha e por vezes o derrota de novo e de novo até que você decida deixar seu ego morrer.
A vida lhe nega bens e grandeza até que pare de querer bens e grandeza e comece a servir.
A vida corta suas asas e poda suas raízes, até que não precise de asas nem raízes, mas apenas desapareça nas formas e seu ser voe.
A vida lhe nega milagres, até que entenda que tudo é um milagre.
A vida encurta seu tempo, para você se apressar em aprender a viver.
A vida te ridiculariza até você se tornar nada, ninguém, para então torna-se tudo.
A vida não te dá o que você quer, mas o que você precisa para evoluir.
A vida te machuca e te atormenta até que você solte seus caprichos e birras e aprecie a respiração.
A vida te esconde tesouros até que você aprenda a sair para a vida e busca-los.
A vida te nega Deus, até você vê-lo em todos e em tudo.
A vida te acorda, te poda, te quebra, te desaponta... Mas creia, isso é para que seu melhor se manifeste... até que só o AMOR permaneça em ti. ♥

publicado por momentoskatia às 19:07

14
Mai 19

borboleta1.jpg

“Liberto meus pais do sentimento de que já falharam comigo.

Liberto meus filhos da necessidade de trazerem orgulho para mim. Que possam escrever seus próprios caminhos de acordo com seus corações, que sussurra o tempo todo em seus ouvidos.

Eu liberto meu parceiro da obrigação de me completar.
Não me falta nada, aprendo com todos os seres o tempo todo.

Agradeço aos meus avós e antepassados que se reuniram para que hoje eu respire a vida. Libero-os das falhas do passado e dos desejos que não cumpriram, consciente de que fizeram o melhor que puderam para resolver suas situações dentro da consciência que tinham naquele momento. Eu os honro.

Me desnudo diante de seus olhos, por isso eles sabem que eu não escondo nem devo nada além de ser fiel a mim mesmo e à minha própria existência.

Caminhando com a sabedoria do coração, estou ciente de que cumpro o meu projeto de vida, livre de lealdades familiares invisíveis e visíveis que possam perturbar minha Paz e Felicidade, que são minha responsabilidade.

Renuncio ao papel de salvador, de ser aquele que une ou cumpre as expectativas dos outros.

Aprendendo através, e somente através do AMOR, eu abençoo minha essência, minha maneira de expressar e manifestar como Centelha...

Honro a Divindade em mim e em você.

PS: Essa antiga bênção foi criada em um antigo idioma Nahuatl, falado desde o século VII na região central do México. Ela trata de perdão, carinho, desapego e libertação.

publicado por momentoskatia às 16:54

Segurando-a-Mao-1024x768c.jpg

Olha que padre Fábio de Mello escreveu em sua coluna:

❤Aprenda a nunca mais ser idiota...

A vida não pode ser só trabalhar e pagar conta.

Seu casamento não pode ser somente cobranças e sexo.

Seu relacionamento com seus filhos não pode ser só perguntar como foi a escola.

Sua preocupação não pode ser somente suas finanças, sua academia e seu próximo apartamento.

Os dias estão passando muito rápido, os celulares estão consumindo nossos preciosos minutos de conversas, de carinho e de risadas. Esse ano já vimos um jornalista dizer "Chego em 10 minutos para almoçar!" e não chegou.

Esse ano vimos um modelo tão entusiasmado para desfilar que o coração não aguentou.

E agora, alguém que foi descansar no mar... e não volta mais pra casa.

Organize sua vida colocando prioridades que realmente importam no seu dia a dia.

Peça perdão, libere perdão, seja leve de espírito... beije na boca a quem você ama, abrace, conforte, chore junto, sorria mais ainda... Não gaste energia com quem não quer o seu bem, não perca tempo abrindo a sua boca para falar o que não edifica, a vida é muito curta para viver aborrecido.

Brinque com seus filhos, durma com eles, se lambuze ao cozinhar algo e divirta-se....

E busque ganhar dinheiro o suficiente somente para você ter segurança e um pouco de conforto, todo o resto é vaidade, é idiotice... um Dia a hora chega e quem viver, viveu.

publicado por momentoskatia às 16:39

15
Abr 19

Para minha tia Rosa S2

poema.jpg

 

publicado por momentoskatia às 18:36

10
Abr 19

menina-de-cabelo-cacheado.jpg

por Luiz Henrique Matos

Ela agora me liga no meio do dia para pedir coisas. Estou no escritório, toca o telefone, percebo que é o número de casa e acho que é assunto sério. Então uma voz fina do outro lado derrete minha postura de profissional empenhado, pedindo para que eu leve algum doce no fim do dia, perguntando se pode ir brincar na casa da avó ou querendo assistir um DVD diferente.

Não reclamo, eu gosto. Apesar do constrangimento em falar com uma criança no telefone diante de uma audiência concentrada no trabalho, atender as ligações da minha filha ou esposa durante o dia é como fazer uma visita instantânea até em casa.

Outro dia, tocou o telefone e era ela outra vez.

– Alô?
– Papai…
– Oi, filha?
– Eu quero você aqui.
– O quê?
– Eu quero você aqui em casa agora.

Crianças…

Ela não quer saber se vivemos em uma mansão ou numa quitinete, se dirijo o carro do ano ou um Chevette 1982. Para ela pouco importa o cargo que ocupo, a marca da roupa estampada em sua camiseta suja de chocolate, a quantidade de prêmios que ganhei – e não ganhei nenhum, se quer saber – ou qualquer dessas coisas que nos parecem fundamentais em grande parte do tempo.

Ela não se importa com o valor dos presentes que ganha. Aliás, ela nem se importa com presentes. Ela é feliz quando os recebe e também é quando nada acontece. Basta a brincadeira, uma nova história e pessoas ao seu lado.

A cada mês, minha menina deixa de ser aquele serzinho dependente e começa a revelar um pouco de sua personalidade. Ela tem olhos bons. Quando sorri, eles ficam apertados entre as bochechas e as sobrancelhas. De uns tempos pra cá, os cachos já encostam nos ombros, seu rostinho já não está tão fofo e o português vai se ajustando num vocabulário correto e claro nas idéias que quer expressar. Se em algum momento eu achei que tinha qualquer controle sobre as coisas, já não me iludo.

E aos poucos, limitado como sou, vou percebendo que longe de objetos e artifícios de que lanço mão para mostrar o bom pai que pretendo ser, ela prefere que eu lhe dê algo mais simples: tempo.

E ela não está interessada em recompensas, não espera que eu retribua o seu carinho, ela só me quer por perto. Ela quer alguém para viajar junto em sua imaginação, quer jogar qualquer coisa, brincar do que der na telha, quer um leite fresquinho quando acorda e um braço pra se apoiar enquanto a Dora, a Aventureira, resgata algum animal perdido na floresta.

Nada do que ela me pede, nada, me custa mais do que um mísero centavo. A verdade é que as crianças tem um tipo de amor que eu não entendo e não expresso. Um amor desinteressado, gratuito, livre de coisas, que não exige condições, que aceita um pedido de desculpas quando a gente deixa de brincar e que espera o dia inteiro, às vezes bem longo, só para ganhar um colo e ouvir uma nova história antes de dormir.

– Nina, as princesas dormem sozinhas em suas próprias camas, sabia?
– Mas, pai, a princesa quer ficar aqui, perto do príncipe.

Ela me acha bonito.

Às vezes eu me pego pensando no dia em que ela vai descobrir que eu não sou “o” cara. De príncipe, herói e marido exemplar, um dia minha menina vai me achar careta, fraco e pedir para que eu estacione a 300 metros da escola para que os amigos não a vejam entrar no carro comigo. Mas até que isso aconteça, deixo as preocupações para a hora apropriada. Enquanto ela ainda se sente suprida simplesmente por eu sentar ao seu lado no sofá, eu desfruto.

Eu me regozijo em sua inocência, no pensamento puro, nos contos de fadas, nas palavras mal faladas e no cheiro de xampu de neném que ainda perfuma uma parte da casa.

– Pai…
– Oi, Nina.

Ela me mostra a mão espalmada.

– Você fica… você fica só mais assim, ó. Fica só mais cinco minutos comigo?
– Claro, querida. Como não?

Sorri.

– Tá. Então senta, pai.

Ela não me cobra se estou acima do peso, não quer saber serei um sujeito careca daqui um tempo e também não liga se não me visto segundo o catálogo da Armani. Ela só quer que eu esteja ali.

Pais são assim. Às vezes, depois que passamos da infância e, num instante crescemos, pode acontecer de o assunto acabar. Pode ser que o encanto se quebre. Pode até ser que filhos e pais, em função do tempo e das circunstâncias, deixem de ter a afinidade natural, aquela amizade que parecia instransponível lá atrás. Mas inexplicavelmente, a gente sabe o quanto precisa deles. Bem, às vezes nem sabemos, mas notamos que em determinados momentos, precisamos daquele colo, daquele cheiro, sentimos falta de estar perto, gastando um tempo que parece à toa, mas que preenche um vazio que só esse tipo amor pode completar.

O primeiro amor, aquele desinteressado, que tudo sofria e suportava, que acreditava e esperava, de repente parece cheio de condições, cercado de regras, empoeirado, espremido entre tantas lembranças naquele baú esquecido no sótão. E a gente sente saudades mas não sabe como voltar.

Nesses momentos, numa fagulha, filhos se distanciam, amigos se perdem, casais se separam e o homem, ao longo da história, se afasta do seu Criador.

O filho perde de vista o Pai, que nunca deixou de esperar pela volta de sua criança, ansioso, aguardando por mais uns minutinhos. E Deus tenta dizer que ele não quer súditos ou empregados que o sirvam com sacrifício, ele quer seus filhos invadindo a cozinha, cansados de correr no quintal, pedindo por uma história, contando sobre o novo amigo e precisando de um copo de água para saciar sua sede.

E como em qualquer relacionamento, um e outro não esperavam mais do que presença, nada além daquele amor simples, o respeito, carinho… nada que se represente em coisas, nenhuma grande fortuna. Talvez uma aventura frustrada a bordo de um Chevette, uma história para contar juntos, talvez uma conversa franca de vez em quando.

No amor, não se dá nada que custe mais do que um mísero centavo.

 
(Publicada originalmente no missaovirtual.com)
publicado por momentoskatia às 16:38

28
Mar 19

cama.jpg

 

A cama dos pais tem um ímã e cá para mim (ninguém me convence do contrário) tem uma magia soporífera, um misterioso pó de amor impregnado nas almofadas, que faz com que os filhos adormeçam imediatamente e que o pior dos pesadelos, o mais trepidante terror noturno, fuja a sete pés.

Na cama dos pais, o último refúgio dos medos, a paz é absoluta e total.

Ali chegam, levados por pais extenuados e vencidos, ou pelo seu próprio pé, transpirados e assustados, passarinhos a voar de noite aos encontrões pelos corredores da casa, até chegarem ao lugar dos lugares. Dois colos com lençóis macios e o cheiro dos progenitores. Caem que nem tordos a dormir, apaziguados.

Os pais fingem que se importam, na manhã seguinte: «Lá foste tu para a nossa cama! Quando é que aprendes a ultrapassar os medos e a dormir sozinho? Tens de crescer!», mas nem olham muito nos olhos dos filhos quando dizem estas coisas, com medo de que eles descubram que naquele breve regresso ao ninho, ao berço inicial, os pais se enchem de amor e ternura e também eles se confortam nas suas inquietações.

Um pescoço morno. Uma mãozinha gorducha no nosso cabelo. Um pé de regresso à costela da mãe. A respiração tranquila na fronha partilhada.

O desejo secreto de que o ninho fique assim para sempre. E que a manhã demore muito a chegar.

Que o misterioso pó de amor das almofadas preserve para sempre estas excursões noturnas de mimo que não são mais do que um inteligente prenúncio, de uma saudade imensa, dos melhores dias desta vida.
 
 
 
 
 
publicado por momentoskatia às 18:10

Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO